Chega um momento que muitas empresas atingem certo crescimento e se deparam com a necessidade de um sistema de gestão profissional e eficiente. E, daí, surge a dúvida: vale a pena investir em tecnologia específica e desenvolver um sistema de gestão próprio? Por isso, no post de hoje vamos analisar os pontos fortes e fracos de ter um sistema de gestão próprio, assim como outras alternativas mais eficientes. Vamos lá?

Sistema de Gestão Próprio: afinal, o que é?

Um sistema de gestão próprio é criado pela própria organização para atender às suas demandas e necessidades. Ou seja, é um conjunto de ferramentas que darão apoio ao desenvolvimento e crescimento do negócio que visa trazer uma maior eficiência para a organização. Essa opção significa que esse sistema de gestão será desenvolvido pela própria empresa ao invés de contratar uma solução disponível no mercado e adaptá-la para as demandas internas da organização.

Principais vantagens e desvantagens de um sistema de gestão próprio

Quando uma empresa começa a planejar a implementação de um software de gestão, vem o dilema: crio um sistema de gestão próprio ou contrato algum sistema de gestão disponível no mercado? Separamos aqui as vantagens e desvantagens da criação de um sistema de gestão próprio.

Principais benefícios de um sistema de gestão próprio

  • Solução customizada: o principal benefício da criação de um sistema de gestão próprio é que a solução atenderá, com perfeição, às demandas e expectativas da organização.
  • Controle: como o sistema de gestão foi desenvolvido pela própria empresa, ela terá controle total, sem depender de apoio ou manutenção

Principais pontos negativos da adoção de um sistema de gestão próprio

  • Investimento relativamente alto: desenvolver um sistema de gestão próprio do zero é um processo que necessita de um investimento alto e só é justificável, em termos de necessidade, se a empresa tiver um negócio com um grau de especificidade extremamente elevado.
  • Infraestrutura permanente: será necessário manter uma equipe de TI constantemente na organização para que se faça a manutenção do funcionamento do sistema de gestão próprio. Além da questão da equipe, haverá a necessidade de servidores e computadores robustos para o bom funcionamento do sistema.
  • Morosidade: desenvolver um sistema de gestão próprio é um projeto que leva muito tempo, desde o planejamento até a implementação. Ou seja, é uma opção que levará muito tempo até estar concluída e em funcionamento.
  • Instabilidade: o sistema de gestão próprio, por ter sido desenvolvido recentemente para uma empresa, não há muitos testes prévios. Por isso, a tendência é que tal sistema de gestão apresente muito mais instabilidade e erros que precisarão ser monitorados e corrigidos.

Alternativa para um sistema de gestão próprio

Como foi abordado, criar um sistema de gestão próprio é extremamente desafiador, principalmente para empresas pequenas e médias. No geral, pelas próprias características do negócio, no geral, será um custo x benefício que não se justifica. Mas isso não significa que não é fundamental para uma empresa adotar alguma solução de gestão, ou seja, algum sistema de gestão.

A adoção de um sistema de gestão trará ainda mais profissionalismo para a organização, assim como um aumento de produtividade, diminuição de custos, rapidez, dentre outros aspectos. Ou seja, investir em tecnologia, nos mais diferentes aspectos, é primordial em um mercado cada vez mais exigente. Mas, para ser assertivo, é necessário criar parcerias com empresas especializadas em sistemas de gestão para pequenos e médios negócios. Ficou interessado e quer saber mais informações? Fale com um dos nossos especialistas e receba uma consultoria gratuita. Somos uma empresa especializada em soluções digitais inovadoras. E é isso que a Ubiqui faz: cria soluções para agregar valor ao seu negócio. Quer saber mais? Entre em contato conosco.