Há algum tempo muitas empresas têm discutido a possibilidade de trabalho remoto para seus colaboradores, seja de maneira integral ou por uma carga horária parcial. Porém, com o agravamento da pandemia do coronavírus (Covid-19), muitas empresas foram pegas de surpresa e, sem um planejamento prévio, tiveram que sugerir que parte dos seus colaboradores trabalhassem em home office.

Home office e trabalho remoto são a mesma coisa?

É fundamental esclarecer: trabalho remoto e home office, no Brasil, são coisas distintas. Pela Lei 13.467/2017, o teletrabalho (ou o trabalho remoto) é considerado a prestação de serviços preponderantemente fora das dependências do empregador, com a utilização de tecnologias de informação e de comunicação que, por sua natureza, não se constituam como trabalho externo. E essa prática precisa estar prevista no próprio contrato de trabalho.

Já o home office, que muitos colaboradores estão fazendo durante a pandemia do coronavírus é uma situação atípica e, por motivos excepcionais, será necessário trabalhar de casa. Porém, o local de trabalho contratual continua sendo a empresa do empregador. Ou seja, é uma situação temporária.

Home office: principais desafios e benefícios

Com muito colaborador e empresa sendo pegos totalmente de surpresa, é importante entender quais os principais desafios e benefícios do home office.

Disciplina

No geral, com o home office o colaborador tem uma maior flexibilidade dos horários. Com isso, é necessário ter muita disciplina para se manter dentro de horários pré-estabelecidos pela empresa. Até para as atividades não avançarem durante a noite adentro, é fundamental tentar manter os horários de “entrada” e de “saída”.

Comprometimento

É necessário manter o compromisso com as entregas e os resultados, independentemente da presença ou localização física do profissional. Se o profissional está com dificuldade em se adaptar logo nos primeiros dias, é possível usar inúmeras ferramentas de comunicação digital para aproximar as equipes e ser possível ajudar uns aos outros. O Whereby, por exemplo, é uma excelente ferramenta: talvez seja a hora de começar a usá-la.

Infraestrutura adequada

Como esta situação de home office foi um pouco inesperada, é possível que nem todos os colaboradores tenham um ambiente em casa adequado para continuar as suas atividades profissionais, como internet de banda larga, um local mais silencioso, dentre outras.

Economicidade

Do ponto de vista da empresa, a adoção da prática do home office ou, de maneira mais estruturada, o teletrabalho, pode gerar economia com energia elétrica, água, café, copos descartáveis, papel, dentre outros. Além disso, com a adoção do trabalho remoto, algumas organizações podem até diminuir sua infraestrutura física e, com isso, reduzir custos relacionados com aluguel, por exemplo.

Melhoria na qualidade de vida

Se tem benefícios do ponto de vista da empresa, tem também do ponto de vista do colaborador. Muitas pessoas passam, em média, 3 horas por dia para se locomoverem para o trabalho. Ou seja, o home office abre a possibilidade de “economizar” este tempo, podendo ser direcionado para outras atividades como, por exemplo, ficar com a família, ir para a academia, realizar algum hobbie.

Obviamente que para muitos profissionais e empresas que não tinham a cultura do trabalho remoto ou do home office, toda esta situação torna-se um desafio redobrado, ainda mais em um contexto de coronavírus. Porém, é necessário aprender com toda esta situação e fazer reflexões sobre como integrar o trabalho remoto nas organizações.

Quer entender mais sobre formas de como a tecnologia pode colaborar para um trabalho mais flexível na sua empresa? Que tal uma consultoria gratuita com uma empresa especializada e focada em inovação? É isso que a Ubiqui faz: cria soluções para agregar valor ao seu negócio. Quer saber mais? Entre em contato conosco.