Quando falamos de e-commerce, o planejamento e implementação das formas de pagamento é essencial. Sabemos que parte dos consumidores não finalizam suas compras através de um e-commerce devido ao receio com possíveis falhas de segurança em relação ao pagamento.

Assim, quando se trata de e-commerce, um suporte diferenciado e uma plataforma segura e confiável certamente são fundamentais para o sucesso do negócio.

Contextualizando os pagamentos dentro do e-commerce

A compra através da internet já é uma realidade para grande parte dos brasileiros. Porém, como eles realizam os pagamentos destas compras? O Relatório Webshoppers (40ª edição – sobre primeiro semestre de 2019) traz insights valiosos sobre como é realizado estes pagamentos.

  • 67% através do cartão de crédito;
  • 19% através do boleto bancário;
  • 6% cartão próprio da loja;
  • 8% outras formas de pagamento.

Outro dado importante disponibilizado pela pesquisa é de que 52,6% dos pagamentos são realizados à vista (ticket médio destas compras é de R$338,00); 20,8% em parcelas de 2 e 3 vezes (ticket médio destas compras é de R$215,00); e 26,6% em parcelas a partir de 4 vezes (ticket médio destas compras é de R$682,00).

O que é importante levar em consideração sobre as formas de pagamento no e-commerce?

Antes de definir e selecionar as formas de pagamento do seu e-commerce, é importante considerar alguns aspectos.

No momento da compra online, é necessário que toda a plataforma seja de uso muito intuitivo, inclusive na hora do pagamento. Assim, o sistema de pagamento precisa ser simples e de fácil utilização, focando na experiência do usuário. Uma sugestão é ter várias formas diferentes de pagamento, para que o cliente escolha a mais cômoda.

Outra dica é fazer testes e simulações com as diversas formas antes de do e-commerce ficar disponível, inclusive através de dispositivos diferentes, como notebooks, smartphones e tablets.

Depois de ter esses cuidados, é necessário conhecer as principais formas de pagamento para as lojas virtuais.

Cartão de crédito

Como vimos no início deste post, o cartão de crédito é a forma principal de pagamento no e-commerce devido a praticidade e a possibilidade de parcelamento. O empresário precisa levar em consideração as taxas cobradas e prazos para recebimento dos valores para um gerenciamento eficaz do seu fluxo de caixa.

Boleto bancário

Por mais que esta modalidade pareça ultrapassada na era digital, ela é bem usual no e-commerce. É preciso lembrar que o brasileiro tem certa dificuldade de gerenciar suas próprias finanças, o que pode ocasionar a perda de acesso ao crédito. Assim, o pagamento via boleto bancário acaba sendo uma alternativa para consumo nos comércios eletrônicos.

Uma desvantagem é que o cliente emite o boleto para um pagamento posterior, o que pode levar a uma desistência da compra. Um outro ponto negativo é a confirmação de pagamento, que pode demorar até 5 dias úteis, o que atrasa a finalização da operação como um todo.

Para que uma plataforma de e-commerce possa emitir boletos é necessário que a empresa abra uma conta corrente em algum banco, sendo que a emissão do respectivo boleto pode ser feita pela própria empresa (através de softwares de gestão, como ERP’s) ou através de sites terceirizados.

Transferência online

Esse tipo de modalidade permite ao usuário que realize o pagamento imediato da sua compra, de maneira rápida e segura. Porém, para efetivar o pagamento, é necessário redirecionar o cliente para uma outra página para confirmação de dados.

Se seu e-commerce é de pequeno porte, a maneira mais prática e fácil de disponibilizar esta forma de pagamento é através da adoção do internet banking por facilitadores, para evitar que o empresário tenha que lidar com vários bancos e suportes diferentes. 

Mas o que são os gateways e facilitadores?

Quando falamos na definição das formas de pagamento dentro do e-commerce, é fundamental entender a diferença entre os facilitadores e os gateways de pagamento.

  • Gateway de pagamento: realiza a ligação direta entre a loja virtual (e-commerce) e a organização financeira responsável pela cobrança. O gateway de pagamento elimina a necessidade de intermediários para finalizar a compra, ou seja, o cliente não precisa deixar o ambiente da loja virtual para finalizar a negociação. Alguns exemplos: Paypal; Wirecard Brasil; e PagSeguro.
  • Facilitador de pagamento: sua função é coletar os dados do seu cliente e liquidar as transações. Nesta solução, o cliente acessa uma página externa à loja virtual para finalizar o pedido (fator que pode prejudicar a finalização da venda).

Agora que você já sabe sobre as principais formas de pagamento para uma loja virtual, que tal uma consultoria gratuita com uma empresa especializada e focada em negócios digitais? É isso que a Ubiqui faz: cria soluções para agregar valor ao seu negócio. Quer saber mais? Entre em contato conosco.