O e-commerce, a cada ano, tem se expandido e fortalecido no Brasil. Empresas de diversos segmentos têm entendido as potencialidades das vendas digitais e têm investido em estratégias e tecnologias para incrementar os resultados organizacionais.

Para entender toda a dimensão, a Perfil do E-Commerce Brasileiro 2018 trouxe os números relacionados com a modalidade aqui no Brasil. Suas principais descobertas foram:

  • 930 mil é o total de e-commerces no Brasil.
  • 37,59% de aumento do número de e-commerces, em comparação ao ano de 2017.
  • 59,76% adotam plataformas que, no geral, são gratuitas.
  • 25,96% dos itens disponibilizados nas lojas virtuais custam mais de R$100,00.
  • 88,77% de e-commerces considerados pequenos, com até 10 mil visitas mensais.

Assim, percebe-se que o e-commerce brasileiro tem amadurecido ao longo dos últimos anos e, com isso, gerado uma gama maior de players, assim como um volume de vendas alto. Porém, ter uma loja virtual para o negócio não é uma decisão nem simples e nem fácil: é necessário analisar inúmeros aspectos e, dentre elas, qual plataforma será utilizada para a operacionalização do e-commerce.

Principais plataformas: o que é necessário saber?

Cada plataforma apresenta suas particularidades, vantagens e desvantagens. Vamos apresentar aqui as características das 2 (duas) mais utilizadas no Brasil e no mundo.

Magento

A Magento foi lançada em 2008 e é uma das plataformas open source mais utilizadas em todo o mundo. No Brasil, empresas de destaque utilizam a Magento, como a Sandálias Ipanema e Riachuelo. Porém, ela também tem soluções muito interessantes para lojas virtuais menores. Seus principais diferenciais estão relacionados com sua segurança, integração, otimização de SEO, dimensão e flexibilidade, permitindo adequações para os mais variados tipos e volumes de negócios. O seu grande destaque está relacionado com a segurança e sua potencialidade para escalabilidade, além de estar integrada com sistemas de pagamento como o PayPal. Em relação às fragilidades desta plataforma, seus clientes criticam a lentidão, maior complexidade para iniciantes e falta de um suporte adequado.

Porém, é importante destacar que, grande parte destes pontos fracos surgem devido à contratação de uma empresa ou freelancer não especializados na Plataforma Magento. Por isso, é essencial parcerizar com empresa realmente com expertise.

Woocomerce

A Woocomerce é outra plataforma amplamente utilizada em todo o mundo. Na verdade, é um plugin criado pelo WordPress transformando-o numa loja online. Suas vantagens estão relacionadas com a simplicidade, personalização e gratuidade. Ou seja, possui inúmeros layouts (tanto gratuitos como pagos) para customizar a loja; tem a funcionalidade de emissão de relatórios; opção de domínio personalizado; recursos para SEO avançado; dentre outras. Por essas características, acaba sendo uma opção muito acessível para os pequenos negócios.

Começando meu e-commerce

Vimos as principais características das duas plataformas mais utilizadas no Brasil, com seus prós e contras. Para definir qual a melhor plataforma para o negócio é necessário, antes de tudo, parcerizar com uma empresa com verdadeiro expertise no assunto, para não realizar investimentos desnecessários e não ter surpresas negativas ao longo da execução do projeto.

De acordo com o objetivo e da dimensão de cada e-commerce, tanto a Magento quanto o Woocomerce podem ser opções interessantes. É necessário avaliar as peculiaridades do negócio para definir de maneira mais objetiva.

E é esse o propósito da Ubiqui faz: através da inovação, cria soluções customizadas para agregar valor ao negócio dos seus parceiros. Quer saber mais? Entre em contato conosco.