Quer abrir um e-commerce de sucesso? Listamos aqui 10 dicas para sua loja virtual começar com o pé direito.

O comportamento do consumidor brasileiro, nos últimos anos, teve grandes transformações. O Relatório Webshoppers (40ª edição) traz insights valiosos para compreender as dimensões do comércio eletrônico brasileiro neste primeiro semestre de 2019:

  • Faturamento de R$ 26,4 bilhões.
  • Crescimento de 12% em relação ao mesmo período do ano passado.
  • Aumento do número total de pedidos em 20%.
  •  Consumidores experimentando a primeira compra online totalizou 18%.
  • Ticket médio de R$404,00.

Ou seja, o comércio digital brasileiro mantém as projeções de crescimento para este final de ano. Assim, abrir um e-commerce de sucesso é um desafio, porém é um caminho natural dentro de um novo contexto digital.

Como fazer um e-commerce de sucesso: 10 dicas

Agora que você já percebeu que o e-commerce está crescendo e se fortalecendo no Brasil, vamos dar 10 dicas para você criar sua loja virtual.

#Dica 1: Disponibilize a função de e-commerce no seu site

Como já vimos em posts anteriores, há várias plataformas que oferecem ferramentas que integram uma loja virtual ao seu site. Assim, a escolha da plataforma é essencial, pois é a base de tudo: ela precisa ter qualidade, ser segura e flexível. Cuidado com plataformas muito limitadas, pois se sua loja virtual crescer rapidamente, ela poderá ficar com o desempenho muito restrito, impedindo a alavancagem dos resultados. 

No geral, há três tipos principais de plataformas:

  • Gratuitas: costumam ser muito limitadas;
  • Código fonte aberto: também são gratuitas, mas necessitam de um profissional com expertise;
  • Pagas: costumam cobrar um percentual sobre suas vendas, mas oferecem, no geral, suporte de qualidade e têm flexibilidade.

#Dica 2: Priorize a segurança

Apesar do aumento substancial das vendas através da internet, há ainda um receio no momento da realização das transações devido às questões relacionadas com segurança. Então, ao abrir um e-commerce, é necessário levar em consideração a proteção das informações disponibilizadas pelos seus clientes, como número do cartão de crédito, CPF, endereço, dentre outros. Além de protegê-las, é importante informar para o cliente, de maneira clara, que questões de segurança são importantes e que vocês levam isso a sério. Assim, o cliente irá se sentir mais seguro para efetuar uma compra através da sua loja virtual.

O SSL (Secure Socket Layer) é obrigatório para sites que têm a opção de compra (loja virtual).

#Dica 3: Defina os meios de pagamento

O recebimento de pagamentos é fundamental para o sucesso do seu e-commerce.

Basicamente, há três formas de receber os pagamentos:

  • Intermediadores de pagamentos: são os mais simples e, para quem está começando, torna-se a solução mais fácil e adequada. No geral, cobram duas taxas: uma fixa em cima de cada transação e uma variável em cima do valor. Além disso, é o intermediador que se responsabiliza pelos serviços antifraude.
  • Gateways de pagamento: Cobram, no geral, uma única taxa fixa por transação.
  • Integração direta: é uma opção mais complexa, ideal para e-commerces mais experientes, robustos e com equipes especializadas.

#Dica 4: Faça um controle de estoque eficiente

O gerenciamento de estoque é primordial para qualquer empresa. Porém, quando se trata de um e-commerce, esta gestão eficiente torna-se ainda mais importante. Qualquer descuido, pode comprometer o prazo de entrega e, com isso, gerar insatisfação ao cliente, comprometendo a credibilidade da loja virtual.

#Dica 5: Estabeleça a forma de entrega

A eficiência da logística é outro critério importante que irá contribuir para o sucesso do seu e-commerce. Basicamente, há duas maneiras principais para a realização da entrega do produto: através dos Correios (porém, há limitações em relação ao peso – até 30kg; e às dimensões); e das Transportadoras (que, no geral, não apresentam limitações de peso e dimensões, porém o cálculo do frete fica mais complexo.

#Dica 6: Não esqueça da Emissão da Nota Fiscal (NFe)

Com o avanço da tecnologia, algumas questões burocráticas fundamentais têm ganhado agilidade. É o caso da NFe. Os passos são bem simples e, provavelmente, você já tem alguns realizados:

  • Inscrever no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ).
  • Emitir o Certificado Digital (e-CNPJ).
  • Realizar o credenciamento no site da Secretaria da Fazenda (Sefaz) do seu estado.
  • Emitir sua primeira NFe.

#Dica 7: Aproveite as datas comemorativas

No geral, em datas comemorativas, seja o Natal, Dia das Crianças, Dia das Mães, Carnaval, Black Friday, dentre outras, há um aumento substancial nas vendas, sejam elas em lojas físicas ou virtuais. Por isso, faça um planejamento anual das ações em datas específicas, tanto para preparar sua produção (se possível, crie produtos associados a estas datas), a operação (por exemplo, de estoque), como criar “pacotes” para aumentar o volume de vendas.

#Dica 8: Aumente a divulgação com anúncios

A criação de anúncios pode ser uma estratégia muito eficiente, pois gera tráfego para seu e-commerce e, com isso, pode potencializar as vendas. Porém, é necessário entender o objetivo dos principais tipos de anúncios.

  • Google Ads: por ser o maior buscador da internet, anunciar através do Google Ads pode ser uma boa estratégia.
  • Redes Sociais, como Facebook e Instagram: são as redes sociais mais utilizadas no Brasil e as pessoas, em seus tempos livres, passam muitas horas navegando por elas. Com uma estratégia focada, também pode trazer bons resultados.

#Dica 9: Crie promoções

Seja para lojas virtuais iniciantes, seja para e-commerce mais experientes, os clientes adoram promoções. E, neste item, é possível integrar com as redes sociais, como o Instagram. Você pode, por exemplo, realizar um sorteio em um post no Instagram. Para participar, o seguidor precisa cumprir algumas regras, como marcar 3 amigos. Desta forma, você pode aumentar o número de seguidores na sua rede social, gerando um aumento de acessos no seu e-commerce e, com uma boa estratégia, o aumento das vendas.

#Dica 10: Escale a venda de produtos em marketplaces

Além de ter sua própria loja virtual, uma outra estratégia complementar é o marketplace. Essa plataforma reúne os produtos de diversas lojas diferentes, sendo uma espécie de varejo digital oferecendo uma diversidade de segmentos. Por se tratar de grandes redes, no geral, ganha-se muito em termo de volume de vendas. Porém, paga-se uma comissão sobre as vendas.

Apesar dos grandes desafios para a abertura de um e-commerce, vimos que este é o caminho natural para a maior parte da venda de produtos. Através de um bom planejamento e a parceria com empresas especializadas na criação de ambientes seguros para as lojas virtuais, certamente pode ser uma estratégia com resultados surpreendentes.