No último post falamos sobre a utilização do Wix. Hoje vamos entender como utilizar o WordPress na sua empresa.

Sistema de Gerenciamento de Conteúdo

O WordPress é um CMS (Content Management System), ou seja, um Sistema de Gerenciamento de Conteúdo. Um CMS é um software ou aplicativo que permite usuários sem expertise técnico criar, armazenar, organizar, editar e publicar conteúdo na internet de maneira simples, sem a necessidade de um desenvolvedor, pois várias funções são automatizadas.

Para se ter uma ideia da popularidade do WordPress, 34,6% dos sites mundiais utilizam esta ferramenta. Além disso, dos sites que utilizam algum tipo de CMS, 61,4% utilizam o WordPress (Fonte: W3Techs, 2019)

Características do WordPress

O WordPress tem uma interface muito versátil, intuitiva e amigável. No plano gratuito, é possível ter acesso a algumas ferramentas, mas elas são mais limitadas. Seus planos pagos começam a partir de R$15,00 por mês e já possibilitam, por exemplo, um domínio personalizado. O seu plano mais caro corresponde a R$149,00 por mês, que é adequado para lojas online (e-commerce). Alguns tipos de formatos que podem ser hospedados no WordPress:

  • Blog;
  • Portfólios;
  • Sites de negócios;
  • Lojas online.

Outra vantagem do WordPress é que ele é totalmente personalizável e otimizado para SEO. Além disso, caso seu site, ao longo do tempo, necessite crescer, ele permita esta expansão, sem perder eficiência. É importante destacar que o site desenvolvido através do WordPress é totalmente responsivo. Inclusive, a medida que o usuário vai criando o site, já consegue visualizá-lo, por exemplo, no formato smartphone ou tablet.

Segurança: um desafio para o WordPress

Em relação às desvantagens elas se relacionam, em sua grande maioria, em relação aos aspectos de segurança. Porém, é possível reduzir esta fragilidade através da instalação de um plugin com essa função. Uma outra desvantagem é que a grande maioria dos temas disponíveis no WordPress são de terceiros, ou seja, há a possibilidade que eles tenham falha de segurança ou de execução. Uma dica importante é atualizar o software regularmente para não correr o risco de ficar comprometido.

Gostou do conteúdo? No próximo post vamos dar 10 passos para ter um site profissional. Até lá!